A história das Pinturas Rupestres

Por Thaigor do Vale Farto, Kaique Maciel e Wendel de Lima

Do francês rupestre, o termo designa gravação, traçado e pintura sobre suporte rochoso, qualquer que seja a técnica empregada.

Arte rupestre, pintura rupestre ou ainda gravura rupestre, são termos dadas às mais antigas representações artísticas conhecidas, as mais antigas datadas do período Paleolítico Superior (40.000 a.C.) gravada em abrigos ou cavernas, em suas paredes e tetos rochosos, ou também em superfícies rochosas ao ar livre, mas em lugares protegidos, normalmente datando de épocas pré-históricas.

Na vida do Homem pré-histórico tinham lugar a Arte e o espírito de conservação daquilo de que necessitava. Estudos arqueológicos demonstram que o Homem da Pré-História (a fase da História que precede a escrita) já conservava, além de cerâmicas, armas e utensílios trabalhados na pedra, nos ossos dos animais que abatiam e no metal. Arqueólogos e antropólogos datando e estudando peças extraídas em escavações conferem a estes vestígios seu real valor como “documentos históricos”, verdadeiros testemunhos da vida do Homem em tempos remotos e de culturas extintas.

Prospecções arqueológicas realizadas na Europa, Ásia e África, entre outras, revelam em que meio surgiram entre os primitivos homens caçadores os primeiros artistas, que pintavam, esculpiam e gravavam. A cor na pintura já era conhecida pelo Homem de Neandertal. As “Venus Esteatopígicas”, esculturas em pedra ou marfim de figuras femininas estilizadas, com formas muito acentuadas, são manifestações artísticas das mais primitivas do “Homo Sapiens” (Paleolítico Superior, início 40000 a.C) e que demonstram sua capacidade de simbolizar. A estas esculturas é atribuído um sentido mágico, propiciatório da fertilidade feminina e ao primeiro registro de um sentimento religioso ou de divindade, o qual se convencionou denominar de Deusa mãe, Mãe Cósmica ou Mãe-terra.

Não é menos notável o desenvolvimento da pintura na mesma época. Encontradas nos tetos e paredes das escuras grutas, descobertas por acaso, situadas em fundos de cavernas. São pinturas vibrantes realizadas em policromia que causam grande impressão, com a firme determinação de imitar a natureza com o máximo de realismo, a partir de observações feitas durante a caçada. Na Caverna de Altamira (a chamada Capela Sistina da Pré-História), na Espanha, a pintura rupestre do bisonte impressiona pelo tamanho e pelo volume conseguido com a técnica claro-escuro. Em outros locais e em outras grutas, pinturas que impressionam pelo realismo. Em algumas, pontos vitais do animal marcados por flechas. Para alguns, “a magia propiciatória” destinada a garantir o êxito do caçador. Para outros estudiosos, era a vontade de produzir arte.

Qualquer que seja a justificativa, a arte preservada por milênios permitiu que as grutas pré-históricas se transformassem nos primeiros museus da humanidade.

Gruta Lascaux – grande referencia das pinturas rupestres
Lascaux é um complexo de cavernas ao sudoeste de França, famoso pelas suas pinturas rupestres.
A disposição da caverna, cujas paredes estão pintadas com cavalos, cervos, cabras selvagens, felinos, entre outros animais, permite pensar tratar-se de um santuário. As investigações levadas a cabo durante os últimos decênios permitem situar a cronologia das pinturas no final do Solutrense e princípio do Madalenense, ou seja, 17.000 anos AP. Todavia, certos indícios, tanto temáticos como gráficos levam a pensar que algumas das figuras podem ser mais recentes, sendo tal hipótese, confirmada por datações com Carbono 14, em cerca de 15.500 anos AP.

Descoberta
Foi descoberta a 12 de Setembro de 1940, por quatro adolescentes: Marcel Ravidat, Jacques Marsal, Georges Agnel e Simon Coencas, que avisaram ao seu antigo professor, Léon Laval. O pré-historiador Henri Breuil, refugiado na zona durante a ocupação nazi, foi o primeiro especialista que visitou Lascaux, a 21 de Setembro de 1940, em companhia de Jean Bouyssonnie e André Cheynier. H. Breuil foi também o primeiro em autenticá-la, descrevê-la e estudá-la. De seguido realizou os primeiros calcos desde fins de 1940, passando vários meses in situpara analisar as obras, que atribuiu ao período perigordiano.

Logo de passar vários anos na Espanha, Portugal e mesmo na África do Sul, voltou em 1949, prosseguindo escavações com Séverin Blanc e Maurice Bourgon, ao pé da cena do poço, onde aguardava encontrar uma sepultura. O que tirou a luz foram pontas de azagaias, decoradas, feitas de corno de Reno.

De 1952 a 1963, por encomenda de Breuil, foram efetuados novos levantamentos, sobre 120 m², de calcos por André Glory, que contabilizavam um total de 1.433 representações (hoje estão catalogadas 1.900).

Por essa mesma época, as representações parietais foram também estudadas Annette Laming-Emperaire, André Leroi-Gourhan e, entre 1989 e 1999, por Norbert Aujoulat.

Descrição da caverna
A gruta de Lascaux é relativamente pequena: o conjunto dos corredores não ultrapassa os 250 m de comprimento, com um desnível de ao redor de 30 m. A parte decorada corresponde a um nível superior, pois o inferior está fechado pela presença de dióxido de carbono.

A entrada atual corresponde com a entrada pré-histórica. Para facilidade de descrição, a caverna está tradicionalmente subdividida num certo número de zonas, denominadas salas ou corredores. Os nomes, imaginários, devem-se em parte a H. Breuil e fazem com freqüência referência à arquitetura religiosa:
A primeira sala é a “Sala dos Touros” ou “Rotonda”, de 17 m por 6 m de largo e 7 de alto;
Prolonga-se pelo “Divertículo axial”, uma galeria mais estreita na mesma direção, mais ou menos do mesmo tamanho;
Depois da Sala dos Touros, à direita do Divertículo axial, acede-se à “Passagem”, um corredor de uma quinzena de metros;
Na prolongação da Passagem abre-se a “Nave”, outro corredor mais elevado, com cerca de vinte metros;
A Nave prossegue com uma parte não decorada, pois as paredes são pouco apropriadas, seguindo logo até ao “Divertículo dos Felinos”, um estreito corredor com cerca de vinte metros;
A “Abside” é uma sala redonda que se abre para Oeste, na confluência da Passagem e a Nave;
O “Poço” abre-se no fundo da Abside. Seu acesso supõe uma baixada de 4 a 5 metros até ao começo do nível inferior.
As grutas não podem ser visitadas por causa do CO2 porque desfaz a pintura.

PINTURAS RUPESTRES NO BRASIL
No Brasil são encontradas diversas manifestações de arte rupestre. Os locais mais conhecidos ficam em Naspolini, no estado de Santa Catarina, na região Sul do país. Em Minas Gerais na região de Prata, próximo a Serra da Boa Vista, em Lagoa Santa, Varzelândia e Diamantina próxima à cachoeira da Sentinela.

Destacam-se também a Toca da Esperança, região central da Bahia e Florianópolis, estado de Santa Catarina, no sul. No nordeste também foram encontradas pinturas no estado do Piauí, na Serra da Capivara. As cidades mais próximas dos sítios arqueológicos são Coronel José Dias e São Raimundo Nonato (30 km). Outros registros foram encontrados na fronteira com o Chile, no Lago dos Diamantes. Muitos registros estão em condições precárias.

No estado do Rio Grande do Norte, diversos sítios também são encontrados, principalmente nas regiões do Seridó e na chapada do Apodi, tendo como o Lajedo de Soledade. No estado de Pernambuco encontram-se pinturas rupestres no município de Itapetim, nascente do rio Pajeú, nos Sítios Boa Vista e Riacho Salgado e no município de Afogados da Ingazeira, próximo cerca de cinco quilômetros do povoado de Queimada Grande e no município de Carnaíba, na Serra do Giz, próximo ao povoado da Serra Carapuça.

Segundo informação da FUMDHAM (Fundação Museu do Homem Americano), de São Raimundo Nonato, há 260 sítios arqueológicos com pinturas rupestres na área do Parque Nacional da Serra da Capivara, que foi criado em 1979.

CONCLUSÃO
Concluímos que as pinturas rupestres foram de suma importância para a humanidade, ela foi o inicio de uma era, é através dela que hoje podemos conhecer um pouco de como era o mundo pré-histórico, e de como seus habitantes representavam seu dia-a-dia.

35 respostas em “A história das Pinturas Rupestres

  1. achei muito descritivo e informativo,dá-se para imaginar o local da caverna plenamente e mostrou que não apenas em uma região do mundo esta atitude se manifestava, mas sim em todo o mundo, tinha necessidade de se comunicar e de informar experiências

  2. Podemos perceber que as pinturas rupestres foram muito úteis para o homem pré-histórico e também para todo o processo da comunicação, pois após a arte rupestre ser criada ela abriu as portas para a escrita e toda a evolução das demais criações. Vemos também que nessa época esse era o único meio para se comunicar e que era extremamente útil para a troca de experiências.

  3. Vejo as Pinturas Rupestres como o “ápice” da humanidade,onde o homem abriu todas as portas possíveis para o seu futuro,foi interessante fazer esta opção de trabalho,porque pouco sabia sobre essa arte,mal sabia os lugares cujo contêm estas pinturas,seria muito interessante conhecer um lugar desses…

    • Além do mais as pinturas abrem sua imaginação para tentar entender o que se passava na época da pré história,o que realmente cada habitante daquela época queria expressar? Mais do que o comum do dia a dia da caça,poderia expressar um sentimento que ele nem soubesse o seu real sentido,um espaçamento entre a felicidade e a raiva,só sabemos que é através destas pinturas que podemos ter uma noção do que era o mundo a milhões de ano atrás.

  4. Podemos ver como tudo começou, pra muitos pessoas essas pinturas seja só rabiscos, mas ela traz uma História completa de sentimentos e ensinamentos aonde um passava para o outro naquela época. Graças a esses registro podemos hoje ver a grande Evolução da Humanidade.

  5. O texto nos remete a idas a museus onde o guia nos relata o que estão nas pinturas ou objetos sendo descritos, é onde nós observamos o ontem e pensamos no hoje de como tudo é mais fácil, de como o passado ajudou no que nos tornamos.
    tudo veio graças a pequenas imagens dentro de onde o Homo Sapiens se abrigava!

  6. Nessa pesquisa que eu e meu grupo fizemos, vi que as pinturas rupestres, que através de simples desenhos poderiam contar histórias de povos antigos, e entender como se iniciou a evolução humana, foram importantíssimas para a criação da escrita. Foi o início de todas as comunicações hoje existentes.

  7. Vale lembrar que os registros históricos não são descobertos por acaso, mas sim por uma junção de pesquisas, trabalhos e estudos a respeito de qualquer que seja o tema. O fato de na época Pré-Histórica já aparecerem registros de pinturas, pode ser não só a necessidade do homem de marcar e simbolizar seu cotidiano, mas também como um ato artístico, no qual a ideia do registro não pode ser generalizada como uma regra, já que a arte transcende qualquer tipo de expectativa futura. Talvez as pinturas rupestres possam até mesmo serem o início da arte pela arte, um momento de catarse no qual a simbologia do inconsciente necessita ser passada para o concreto, para a realidade, dando forma a outras dimensões expressivas do ser-humano, que vão além do simples registro do cotidiano. Gostei de saber a respeito das pinturas rupestres no Brasil, nunca tinha pensado nisso até então.

  8. A pintura rupestre é de extrema importância na história da comunicação! Naquela época o homem só podia se comunicar com quem estava próximo, e muitos de seus conhecimentos morriam com eles, sem ter a chance de ser levado adiante, porém foi a partir dela que o ser humano vem criando meios para se comunicar com o mundo!

  9. As pinturas rupestres são mesmo muito importantes como um registro da história, da vida do homem pré-histórico. Foi a primeira forma de comunicação, é preciso conhecer e preservar esses feitos.

  10. História muito importante as pinturas rupestres são desenhos simples, mais que nos mostram uma grande, importância na comunicação dos povos, e sem contar que foi a primeira forma de comunicação.

  11. A pintura rupestre foi marco para o inicio da comunicação á qual vivenciamos hoje, o homem em seu inicio não sabia que tinha o poder de emitir sons por intermédio da fala, eis que sua comunicação se deu por volta de desenhos (diversificado tipos de pinturas e sinais) até ele descobrir que poderia emitir sons, e assim por diante a comunicação foi evoluindo.

  12. Essas pinturas foram o início da comunicação, graças a elas o homem aprendeu a se expressar e passar sua cultura adiante.

  13. As pinturas rupestres podem sim serem consideradas uma das formas de comunicação mais importantes existentes, porquê foram elas que deram início a comunicação e a todos os meios, desde os primeiros povos que habitaram a Terra até chegar a nossa tecnologia atual.

  14. Acho magnifico essas pinturas, e de extrema importância para a história da humanidade, sem ela, seria praticamente impossível saber muitas coisas que hoje, temos acesso até em filmes e livros. Sem dúvida uma, se não o mais importantes dos meios de comunicação criados. Podemos ver como eram os costumes, os jeitos que eles se comunicavam, o jeito que eles se expressavam, que acredito que eles levavam muito animais também em conta, enfim, sem sombra de dúvidas fundamental para a comunicação.

  15. As Pinturas Rupestres, são basicamente o início da comunicação. Na época em que elas foram feitas (na era pré-histórica) as pessoas não tinham o conhecimento de como se comunicarem verbalmente, começaram a fazer pinturas, essa foi a forma que encontraram para a comunicação. Tão pouco essas pessoas imaginavam que estavam dando início a tamanho conhecimento, algo que foi se evoluindo e modernizando com o passar do tempo e chamamos de comunicação.

  16. As pinturas rupestres foram o início da história da comunicação, e principalmente de sociedades civilizadas, a comunicação que surgiu com os desenhos e esboços do cotidiano vai muito além do fato de trocar informações, é a possibilidade de conhecer o mundo, outros povos e outras vidas através de relatos, histórias e falas. O mundo gira em torno da comunicação e só chegamos a essa era tecnológica pelas pinturas rupestres.
    Em relação a produção, achei o trabalho bem completo, esclarecedor e coerente.

  17. As pinturas rupestres são importantes pois nos mostra como era a vidado homem na época, pois era o único meio de comunicação entre eles. Na era pré-histórica não se comunicavam verbalmente, então essas pinturas foram a maneira dos homens passarem seus conhecimentos para os que estavam mais próximos e, na maioria das vezes seus conhecimentos morriam com eles. As pinturas rupestres nos mostram como eles viviam, quais eram seus costumes e como os homens ensinavam os mais novos a caçarem. Graças a essas pinturas, ouros meios de comunicação puderam ser criados.

  18. É interessante saber que o homem pré-histórico (Homo Sapiens) há 40.000 a.C, já manifestava impressões artísticas. E mais, possuíam uma cognição elevada para os primórdios, uma vez que, esculpiam com formas acentuadas suas esculturas das “Venus Esteatopígicas”.
    Também está claro que a religião sempre foi necessária ao homem; se com tão poucos recursos em relação a tudo, eram possuidores de crenças.

  19. Uma das primeiras formas de comunicação, a pintura rupestre nos traz histórias, onde tudo começou, como faziam para sobreviver, quais eram os estilos de vida, Ajudou também no desenvolvimento da comunicação, pois sem essas pinturas o mundo não estaria evoluindo.

  20. As pinturas rupestres é em minha opinião a prova do inicio da nossa comunicação, é nela que se deu origem em tudo o conhecemos hoje. Nada se imaginava até onde isso daria, mas é por meio delas que muito se aprende sobre a vida dos homens da pré-historia que é muito importante para sabermos como era a vida naquela época

  21. O texto descreve claramente o cotidiano comunicativo do homem pré-histórico, e tudo o quanto sabemos e fazemos, teve seu início a milhares de aos através da comunicação rupestre.

  22. A pintura rupestre era uma das maneiras que eles usavam para se comunicar uns com os outros e assim eles registravam seu modo de vida, seus costumes, e então foi a partir dai que o homem começou a desenvolver o modo de comunicação que vem crescendo cada vez mais.

  23. Arte rupestre, pintura rupestre ou ainda gravura rupestre, são termos dados às mais antigas representações artísticas conhecidas, as mais antigas datadas do período gravadas em abrigos ou cavernas, em suas paredes e tetos rochosos, ou também em superfícies rochosas ao ar livre, mas em lugares protegidos, normalmente datando de épocas pré-históricas.

  24. O primeiro passo da humanidade para o que hoje conhecemos como escrita e como linguagem em geral. Partiu da necessidade de se fazer entender, e desde então tudo se desenvolveu até o que hoje utilizamos. Hoje digito com meus dedos em um teclado cheio de caracteres, graças aos homens que um dia com os mesmos dedos rabiscaram as paredes com sangue, argila, saliva e até excrementos.

  25. Época da caverna, onde tudo teve seu início, legal o trabalho, não sabia dessa parte “A “Abside” é uma sala redonda que se abre para Oeste, na confluência da Passagem e a Nave;
    O “Poço” abre-se no fundo da Abside. Seu acesso supõe uma baixada de 4 a 5 metros até ao começo do nível inferior.
    As grutas não podem ser visitadas por causa do CO2 porque desfaz a pintura. ” Maneiro essa informação !! bom trabalho ai pessoal

  26. É interessante saber que há milhões de anos atrás essa necessidade de se comunicar era intensa. E além de se comunicar eles relatavam coisas do dia-a-dia, o que na época era um modo de relatar coisas que possivelmente eram de extrema importância. Com desenhos simples e objetivos, os ”homens das cavernas” deixaram para nós o que hoje pode ser considerado o começo da história da comunicação. Nem imaginava essa história sobre as grutas, achei muito interessante. Ainda podem haver muitos mistérios e histórias a serem descobertas através desses desenhos.

  27. Pelo trabalho descrito, nota-se que a pintura rupestre foi o tiro dado a era da comunicação, onde tudo começou. Onde os homens das cavernas desenhavam gravuras, ensinando a caçar, colocando nas pedras como era o estilo de vida deles e como eles se organizavam entre eles.

  28. as pinturas rupestres foram o primeiro passo da comunicação,sendo assim o mais importante, e pode nos mostrar um pouco do dia a dia da humanidade na pré-história! Tanto que hoje há sítios arqueológicos para preservar esse marco histórico.

  29. O início da comunicação entre as pessoas (ainda que primitivos), a partir desse momento as pessoas começam a se comunicar mesmo que através de desenhos, até evoluírem para outras formas de comunicação.

    • As pinturas rupestres também deixaram um legado de cultura para a humanidade, além de serem conservadas até os dias de hoje, possibilitando o contato visual com as pessoas.

  30. As pinturas rupestres são os primeiros indícios da necessidade do homem em comunicar-se, em registrar fatos. Podem ser consideradas a base das constantes descobertas do homem quanto às formas de se expressar (artisticamente também). Os primeiros passos em direção às mais diversas maneiras de registrar os acontecimentos, que levou, futuramente, a humanidade à evolução da escrita, por exemplo.

    • A forma com que as informações foram distribuídas no texto facilitaram o entendimento de alguns dados sobre a evolução das pinturas, como por exemplo, os possíveis motivos de seu surgimento, onde e quando. Citar grutas, cavernas e a forma como as pinturas foram descobertas nestas, exemplificou as informações dadas anteriormente e particularmente, gerou a curiosidade de uma pesquisa com imagens.

  31. As pinturas rupestres marcam o começo de todo o conhecimento que adquiriríamos a partir dali, logicamente sobre arte, mas também sobre o modo como nossos antepassados viveram. Penso que o trabalho contribuiu muito para minha concepção das pinturas rupestres e com certeza para meu conhecimento nessa área. Bem completo e com muitas informações sobre os lugares onde se encontram essas pinturas. Porém visualizei que o trabalho saiu um tanto do foco, falando também sobre estátuas e outas artes da mesma época, mas obviamente não do mesmo tipo, seguem linhas e estruturas de pensamentos diferentes.

  32. O trabalho ficou muito bom, poderia ter sido um pouco mais objetivo. As pinturas rupestres foi o inicio de tudo, o começo da comunicação, que se não fossem elas não saberíamos a nossa própria história. Eu não sabia que havia tantas dessas pinturas preservadas no brasil, achei interessante o modo em que falaram desse tema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s