A história do Papel

Por Renan Barboza, Rodolfo Luiz e Thayza Pereira

O papel foi criado na China, no século II, e durante mais de 1500 anos ele era feito com fibras de algodão extraídas de roupas velhas, panos e trapos. Só após as máquinas de impressão se desenvolver por volta do século XV, foi que o consumo de papel aumentou muito, então não havia roupa velha suficiente para publicar livros, revistas, jornais. No ano de 1719 o francês René Antoine de Reaumour teve a ideia de usar fibras extraídas da madeira, mas só foi a partir de 1850, através de estudos de diversos inventores foi que essa ideia se tornou viável e é usada até hoje.

O papel é um material constituído por elementos fibrosos de origem vegetal, geralmente distribuído sob a forma de folhas ou rolos. Tal material é feito a partir de uma espécie de pasta desses elementos fibrosos, secada sob a forma de folhas, que por sua vez são frequentemente utilizadas para escrever, desenhar, imprimir, embalar etc. Do ponto de vista químico, o papel se constitui basicamente de ligações de hidrogênio.

Processo de Produção

HISTÓRIA
Desde os tempos mais remotos e com a finalidade de representar objetos inanimados ou em movimento, o homem vem desenhando nas superfícies dos mais diferentes materiais. Nesta atividade, tão intimamente ligada ao raciocínio, utilizou, inicialmente, as superfícies daqueles materiais que a natureza oferecia praticamente prontos para seu uso, tais como paredes rochosas, pedras,ossos, folhas de certas plantas, etc.

Acompanhando o desenvolvimento da inteligência humana, as representações gráficas foram se tornando cada vez mais complexas, passando desse modo a significar ideias. Este desenvolvimento, ao permitir, também, um crescente domínio dessas circunstâncias através de utensílios por ele criado, levou o homem a desenvolver suportes mais adequados para as representações gráficas. Com esta finalidade, a história registra o uso de tabletes de barro cozido, tecidos de fibras diversas, papiros, pergaminhos e, finalmente, papel.

A maioria dos historiadores concorda em atribuir a Cai Lun (ou Ts’ai Lun) da China a primazia de ter feito papel por meio da polpação de redes de pesca e trapos, e mais tarde usando fibras vegetais. Este processo consistia num cozimento forte das fibras, após o que eram batidas e esmagadas. A pasta obtida pela dispersão das fibras era depurada e a folha, formada sobre uma peneira feita de juncos delgados unidos entre si por seda ou crina, era fixada sobre uma armação de madeira.

Conseguia-se formar a folha celulósica sobre este molde, mediante uma submersão do mesmo na tinta contendo a dispersão das fibras ou mediante o despejo da certa quantidade da dispersão sobre o molde ou peneira. Procedia-se a secagem da folha, comprimindo-a sobre a placa de material poroso ou deixando-a pendurada ao ar. Os espécimes que chegaram até os nossos dias provam que o papel feito pelos antigos chineses era de alta qualidade, o que permite, até mesmo, compará-los ao papel feito atualmente.

MATÉRIA PRIMA
As fibras para sua fabricação requerem algumas propriedades especiais, como alto conteúdo de celulose, baixo custo e fácil obtenção — razões pelas quais as mais usadas são as vegetais. O material mais usado é a polpa de madeira de árvores, principalmente pinheiros (pelo preço e resistência devido ao maior comprimento da fibra) e eucaliptos (pelo crescimento acelerado da árvore). Antes da utilização da celulose em 1840, por um alemão chamado Keller, outros materiais como o algodão, o linho e o cânhamo eram utilizados na confecção do papel.

Atualmente, os papéis feitos de fibras de algodão são usados em trabalhos de restauração, de arte e artes gráficas, tal como o desenho e a gravura, que exigem um suporte de alta qualidade.

Nos últimos 20 anos, a indústria papeleira, com base na utilização da celulose como matéria-prima para o papel, teve notáveis avanços, no entanto as cinco etapas básicas de fabricação do papel se mantêm:

1- Estoque de cavacos;
2 – Fabricação da polpa;
3 – Branqueamento;
4 – Formação da folha;
5 – Acabamento.

No início da chamada “era dos computadores”, previa-se que o consumo de papel diminuiria bastante, pois ele teria ficado obsoleto. No entanto, esta previsão foi desmentida na prática: a cada ano, o consumo de papel tem sido maior.

É fato que os escritórios têm consumido muito mais papel após a introdução de computadores. Isso pode ter ocorrido tanto porque, com os computadores, o acesso à informação aumentou muito (aumentando a oferta de informações, aumenta também a demanda), quanto pela facilidade do uso de computadores e impressoras, o que permite que o uso do papel seja menos racional que outrora (escrever à mão, ou à máquina datilográfica, exigia muito mais esforço, diminuindo o ímpeto de gastar papel com materiais inúteis). De fato, a porcentagem de papéis impressos que nunca serão lidos é bastante alta na maior parte dos escritórios (especialmente os que dispõem de impressoras a laser (as quais imprimem numerosas páginas por minuto).

PROCESSO DE PRODUÇÃO

Floresta: local onde são plantadas espécies mais apropriadas para a o tipo de celulose ou papel a ser produzido – a maioria das empresas usa áreas reflorestadas e tem seu próprio viveiro onde faz melhorias na espécie cultivada, clonando as plantas com as melhores características;

Captação da madeira: A árvore é cortada e descascada, transportada, lavada e picada em cavacos de tamanhos pré-determinados;

Cozimento: no digestor os cavacos são misturados ao licor branco e cozidos à temperatura de 160 Cº. Nessa etapa tem-se a pasta marrom que pode ser usada para fabricar papéis não branqueados.

Branqueamento: a pasta marrom passa por reações com peróxido, dióxido de sódio, dióxido de cloro, ozônio e ácido e é lavada a cada etapa, transformando-se em polpa branqueada;

Secagem: a polpa branqueada é seca e enfardada para transporte caso a fábrica não possua máquina de papel;

Máquina de papel: a celulose é seca e prensada até atingir a gramatura desejada para o papel a ser produzido.

Tratamento da lixívia e rejeitos da água: o licor negro resultante do cozimento é tratado e os químicos são recuperados para serem usado como licor branco. Esse tratamento ameniza os impactos ambientais causados pela fabrica de papel;

Produção de energia: A produção de energia vem de Turbos geradores que são movidos por vapor proveniente da caldeira.

PRINCIPAIS TIPOS DE PAPEL

-Couchê: Papel convertido a partir de papel-base, revestido de um ou de ambos os lados com substâncias minerais, na máquina de revestir ou na própria máquina que faz o papel-base, podendo receber acabamento brilhante em supercalandra, texturizado, mate ou fosco. Por apresentar ótimas características de nivelamento superficial, é empregado na reprodução de trabalhos de elevada qualidade. Garante cores vivas e definidas na impressão. É bastante usado em revistas e publicações especiais.

– Jornal:
Papel de superfície irregular e pouco colada (representa uma variação maior na qualidade do impresso), de baixo custo, usado na impressão de jornais, folhetos, livros, revistas, materiais promocionais em geral.

– LWC (Lightweight Coated Paper): Papel fabricado com alta porcentagem de celulose, revestido fora de máquina com 8 g/m² a 19 g/m² de tinta couchê em cada face, utilizado na impressão de catálogos, revistas, livros, materiais promocionais.

– Offset: Papel de impressão sem revestimento, fabricado com pasta química branqueada, conteúdo de carga mineral entre 10% e 15%, boa colagem interna e superficial. Oferece boa reprodução de imagens e é mais utilizado em livros e cadernos. As altas gramaturas são utilizadas em casos especiais.

– Reciclado: Papel fabricado a partir de polpa de papel usado, desentintado e branqueado, ou a partir de aparas de impressão ou de conversão. Tem uma tonalidade mais escura, mas possui a mesma qualidade do papel offset.

34 respostas em “A história do Papel

  1. Antes de chegar a ser como é atualmente, o papel passou por algumas modificações através do tempo. Vemos que o processo de produção é complicado e trabalhoso; e também podemos perceber que essa é uma “ferramenta” extremamente importante para todos nós, pois, sem o papel não teríamos tudo o que temos hoje, como por exemplo, jornais, revistas, livros e afins.

  2. Me fez recordar a visita que fiz a uma fábrica de papel!imagens me vem a mente e é assim mesmo! já havia pesquisado a história do papel e processo de “fabricação” deste, e ainda tinha guardado isso impresso, revi, reli e são assim mesmo, tanto a forma de confecção do papel, sua história.

  3. Fico imaginando,como será que era o papel na época em que foi inventado? com certeza não era como o que temos hoje,bem que poderia existir algum museu que tivesse um pedaço deste material,para que comparações pudessem ser realizadas.
    Agora se o papel pode ser produzido através de fibra de algodão,de redes de pesca e trapos,porque não utilizam essas fontes de produção ao invés de desmatar florestas?
    Talvez produzir com esse tipo de matéria prima deve ser muito mais complicado,mas com a tecnologia de hoje,creio que o tempo de produção pode ser quem sabe 10 vezes menor do que era naqueles tempos.
    Esta certo que varias empresas como a pesquisa apresenta,tem seu próprio espaço de plantio e colheita,exemplo mais clássico deve ser a Faber Castell,mas mesmo assim outras empresas não seguem os exemplos bons,infelizmente!
    Gostei do modo de fabricação do papel,deve ser feito com muito cuidado pelo visto
    Bom Trabalho!

  4. Papel joia rara que o ser humano desperdiça. Ao ler o trabalho pude notar a forma de “fabricação” do papel, me desperta uma vontade imensa de ver de perto está produção. Sou a favor do papel reciclável, aonde podemos poupar e preservar o meio ambiente.

  5. Quanta informação importante, não sabia que as primeiras folhas de papel foram feitas com fibras de algodão de roupas velhas, e o mais importante foi a evolução que isso teve, hoje em dia as folhas são extraídas das fibras de arvores. E com a invenção dos computados muitos pensaram que as folhas de papel seriam menos usadas, mais isso não aconteceu, parece que hoje em dia as folhas são mais usadas do que nunca!!!! Muito legal o trabalho parabéns Pessoal!!!!

  6. O papel é essencial hoje, mas é usado erroneamente e muito desperdiçado, o papel reciclado é a forma mais correta de propagar essa maravilha da comunicação.

  7. Várias transformações até chegar ao papel que vemos hoje. É um meio de comunicação muito importante, pois possibilita e existência dos livros, jornais, revistas e muitas outras formas de comunicação. Extremamente desperdiçado e que causa o desmatamento de algumas florestas, talvez seja o lado negativo, mas causado pelo próprio homem.

  8. Não vejo o fim do papel pois ainda dependemos muito dele, o que existe é um desperdicio complexo, mais graças a Deus pode ser reciclado e reutilizado, existem alternativas ótimas ! Sem o papel podemos ter a certeza que a comunicação e as informações de mídias que dependem dele não irão tão longe.

  9. O papel vem da evolução do papiro, pergaminho, ou até mesmo pedras, tipos de locais de comunicação escrita muito difíceis de mexer até a chegada dessas folhas. Entre muitas outras mídias, seja elas impressas, eletrônicas , etc, o papel também possui seus prós e contras. Suas vantagens estão na facilidade de acesso, de utilização e preço, mas podemos lembrar do desperdício que ocorre, que gera entre outras coisas desmatamento na florestas e altos custos para reciclagem de um material que não precisa que seja feita, ou seja, os produtores de papel assim como em algumas empresas, deveriam ser obrigados a possuir seu local de plantio de árvores, de reutilização de matéria prima e do material que seria descartado para que não pudesse, um meio tão importante acabar com outro, a Natureza…

  10. Interessante o jeito que o papel é criado, dá uma certa vontade mesmo de ver como tudo é criado, como dito em um comentário acima. O papel é um material super importante, utilizado para inúmeras coisas não só para jornalistas e afins, como para basicamente todos os seres humanos em seus dia-a dia, proporcionando aplicações extremamente importantes e as vezes não muito reconhecidas. Vamos usar papeis reciclados, pois com isso colaboramos com o meio ambiente, e teremos nossas utilizações da mesma maneira. Gostei do trabalho

  11. O papel ainda é indispensável. Muito legal ver todo o processo de produção antigamente, uma coisa quase artesanal. Uma vez fizemos papel reciclado aqui em casa, eu adorei, haha.
    Alguém mais tem mania de sempre cheirar livros, jornais e revistas? Deve ter algo no papel que aguça essa vontade, hahahaha.

  12. A invenção do papel passou por várias etapas até chegar no papel que usamos hoje. Ele é muito importante, pois é a partir dele que podemos escrever diversas informações, fazer desenhos, registrar momentos, fazer relatórios, enfim da para fazer mais uma infinidades de coisas. Além disso, existem alguns meios de comunicação que são feitos através dele também. Com isso da para imaginar a tamanha importância do papel na sociedade.

  13. É incrível ver onde o homem começou escrever, fico imaginando como era difícil escrever em argila e pedras. O processo de processo de produção é muito descritivo, dá-se pra imaginar com clareza cada detalhe. O papel é muito importante, não só para os comunicadores, mas para toda humanidade, é nele que colocamos todo o nosso conhecimento e experiência que queremos passar para outras gerações. Sem o papel todas as profissões deixariam de existir!

  14. São muitas informações, eu nunca imaginei que o papel foi originalmente feito a partir de fibras de algodão retiradas de roupas velhas, panos e até trapos. Imagino o quão trabalhoso devia ser a confecção do papel na época. Legal ver a evolução do papel desde quando foi criado até os dias de hoje. Gostei de ver os materiais que eram usados para fazer o papel.

  15. Papel, produto que desde sua criação exigi um processo complexo de produção, e só assim pesquisando e lendo sobre o assunto que damos conta da importância no nosso cotidiano tanto nos estudos, quanto nos meios de trabalho. Todos os meios de comunicação são importantes, mas a escrita no papel tem espaço especial pois é a maneira com que a maioria das pessoas aprenderam a ler, escrever e se educaram com os livros, cadernos e afins. Mesmo fazendo parte de uma geração digital, não podemos esquecer da importância do papel, que passa informações e educa cidadãos.

  16. Muito bom o conteúdo, o papel esteve presente em quase toda a evolução do ser humano, é muito importante, sendo produzido para mais variadas coisas do nosso cotidiano. Uma coisa é difícil de se imaginar é dele ser substituto pela tecnologia que aumenta a todo dia, pode ter itens que acabem ficando para traz, porém ser deixado de lado por completo é uma coisa muito difícil de acontecer.

  17. Foram muitas as etapas para chegar ao papel que temos hoje, Muitas vezes não damos importância a isso, e qualquer rabisco já jogamos a folha de papel fora, sem se dar conta de que muitas arvores são cortadas para nosso consumo deixando muitas vezes de reciclar.

  18. No inicio da produção do papel, a consciência em se preservar a natureza era quase nula. Porem atualmente é imensamente importante o reflorestamento e o uso consciente desse material que é de suma importancia em nosso cotidiano. E pra quem acha que o papel branco é o mais “puro” se engana, pois ele é o papel que mais possui produtos quimicos em sua formulação.

  19. A necessidade de se comunicar e preservar experiencias para outras gerações teve um grande avanço na produção do papel principalmente na hora de estocar a escrita afinal seria praticamente impossível uma biblioteca de pedras ou coro animal

  20. Sem o papel não teríamos o jornal, nem as revistas, nem os outros meios do gênero. É utilizado muito além da comunicação. Teve ENORME importância para o meio de comunicação, pois sem o mesmo muitas outras histórias deixariam de existir, literalmente!

  21. O papel desempenha uma função muito importante para o ser humano , até porque ele está presente em todas as atividades do dia-a-dia.

  22. Bom o papel é uma das matéria prima mais importante que conhecemos.Infelizmente nem todo mundo sabe usa-lo, achei bem legal o trabalho de vocês.

  23. A matéria prima de boa parte dos informativos produzidos pela humanidade. Desde as esculturas em pedra, peles de animais, passando por pergaminhos, papiros até que chegamos ao papel atual. A celulose como base dessa inovação acabou por despertar nos últimos anos a preocupação com a reciclagem. E de passagem parabenizar os professores pela excelente ideia de colocar tudo em um Blog, economizando assim algumas árvores e somando conhecimento e consciência ambiental aos alunos.

  24. ótimo trabalho, bem estipulado e explicado. Nem tem o que falar do papel né? O que seríamos sem ele? Apesar de ser algo simples, é nele que são colocadas as informações entre outras coisas

  25. Concerteza foi uma das ferramentas de comunicação mais utilizada por nós mesmos. Através de jornais,revistas,livros,etc. E evoluiu de tal forma que se é possível recliclar, preservando o meio ambiente.

  26. Tudo que é impresso tem papel, através do tempo sofreu diversas modificações até chegar a cor branca que é hoje (ou a colorida) um grande meio de guardar ideias, imagens, escritas,etc.

  27. Atualmente, presente em várias atividades, o papel, apesar da era digitalizada, não perdeu sua importância, pois além de sua carga histórica, que o aprimorou a fim de suprir as mais diversas necessidades, ele conta com a praticidade e é mais agradável para leitura, por exemplo, proporcionando experiências associadas à sua textura, cor e cheiro. E quanto à sustentabilidade, trata-se de um material produzido por recursos naturais, o que possibilita a reciclagem da maioria dos tipos de papéis, basta a conscientização em sua forma de produção e uso.

    • Bastante informativo, além de suprir curiosidades que vão desde sua definição até os tipos de papéis existentes, a ordem com que essas informações estão dispostas no texto facilitou o entendimento.

  28. Gostaria muito de ter a oportunidade de poder sentir a textura dos papéis mais antigos, para também vivenciar a história através de uma forma diferente. Fiquei com vontade de conhecer uma fábrica, ou melhor, conhecer todos os passos nos quais se dá o processo que resulta no papel atual. Fico pensando nas árvores cortadas, mas daí meu pensamento vai longe e não entendo mais nada. Não sei a razão pela qual o papel reciclado não tenha ganhado o gosto popular. Eu mesma, apesar de apoiar e defender tudo o que hoje possa ser definido como ecologicamente correto, prefiro as folhas de papel comum; elas permitem que, com o traço forte da caneta ou do lápis o papel fique meio amassado, texturizado, e eu gosto disso. Agradeço pelas folhas de papel não terem entrado em extinção; fico me perguntando o que seria de mim sem essa alegria. Como seria viver apenas através das luzes irritantes, frias e cansativas para mim, dos computadores e seus descendentes.

  29. É legal, bonito, interessante e tudo mais, mas seu uso é um desperdício. O quanto vemos de panfletos e jornais de propagandas jogados nas ruas, desde sempre, chega ser desestimulante, verdadeira burrice, pois quase ninguém lê. E em tempos de eleição política então? Aqueles santinhos, praguinhas, bandeirinhas, toda aquela parafernália infame… Jesus me salva! Já começam roubando aí, sonegando notas e poluindo o meio ambiente. Bom enfim, não é o caso, sobre um aspecto do texto faço uma ressalva: essas indústrias papeleiras investem no reflorestamento e uso de tecnologias para aumentar a eficiência da produção, não estão preocupados com a natureza e sim com a demanda que só cresce. Elas adentram na mata e desmatam sem dó!

  30. Não sabia que o papel já havia passado por tantos processos, e feito de tanta maneiras diferentes. Se formos parar para pensar, o papel pode ser algo que se torne inutilizável, por conta do grande crescimento da era digital. Mas ainda há os que preferem o papel, que ainda é muito usado e hoje há diversos tipos, tamanhos e utilidades diferentes.

  31. Achei esse um trabalho muito bem explicado, de fato explicado até de mais,me pareceu muito mecânico a forma como ele foi escrito. Porém existem nele todas a informações que qualquer pessoa que gostaria de saber mais do assunto se sentiria satisfeita e muito bem informada de ler. Muito bem feito.

  32. Trabalho bem elaborado, descreveram muito bem a evolução do papel. Esse material teve suma importância no processo da comunicação. Foi um dos veículos para guardar registros de tudo que já aconteceu. Hoje em dia existem vários tipos de papel. como vimos no texto, e podemos reciclá-los, preservando o meio ambiente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s